25 agosto 2013

Mundo das Profissões: Jornalismo

Olá olá meus caros, como vão vocês?
Pois bem, decidi criar essa nova tag, pois ultimamente ando pra lá de confusa sobre o que prestar no ano que vem, e acredito que boa parte de vocês esteja assim também.
Então vou começar a postar para vocês sobre um pouquinho do que conheço.
Nessas últimas semanas, têm acontecido palestras no colégio sobre algumas profissões; até agora só pude ir na de jornalismo. Infelizmente, perdi a de medicina porque fiz o favor de cortar a energia da casa inteira quando decidi ir tomar banho.
Mas vamos à cereja do bolo…
Na última quarta-feira (21/08), as 20h, no D’incao Instituto de Ensino, aconteceu a palestra de Jornalismo com uma das mais incríveis jornalistas de Bauru, Fernanda Villas Bôas.
A Fernanda, além de ter cursado jornalismo, fez mestrado em comunicação na UNESP, foi professora da UNIP, e atualmente é professora de comunicação na USC e trabalha na Editora Alto Astral.
Vou contar para vocês de cabo a rabo, o que rolou por lá...

Jornalismo, independentemente de qualquer definição acadêmica, é uma fascinante batalha pela conquista das mentes e corações de seus alvos: leitores, telespectadores ou ouvintes (e internautas).”
                                                                                                           
                       - Clóvis Rossi
Mas afinal, o que é notícia
“É um pedaço do social que volta ao social.” (Bernard Voyenne)

“Informação atual, verdadeira, carregada de interesse humano e capaz de despertar a atenção…” (Luiz Amaral)

“A notícia é uma janela para o mundo.” (Fernanda Villas Bôas)

Depois de definições de alguns conceitos importantes, ela nos explicou sobre uma das maiores coisas que se aprende em jornalismo: O mito da objetividade; no qual a grande imprensa deve adotar uma posição neutra e publicar os fatos com rígida imparcialidade.

Assim, passaram a ser privilegiadas duas novas orientações: A objetividade (para abarcar mais leitores) e a concisão (para otimizar o uso do papel).
E dessa forma surgiu o jornalismo… Que no Brasil, é inspirado pelo jornal americano.
Dentro disso, cabe fazer as perguntas essências da profissão: Quem, o quê, quando, onde, como, por quê e para quê.

Inicialmente, um jornalista trabalhava ou na imprensa ou assessoria de imprensa; hoje existe um meio bem mais amplo de formas jornalísticas, como revistas, sites, canais de internet e programas de TV.

O que nos abre as portas para apostar no empreendedorismo: Na internet, ele pode instituir e fortalecer uma via de expressão por meio de um blog, de um site cooperativo ou de um canal no youtube. Um bom exemplo disso é o Mídia Ninja (Narrativas Independentes, Jornalismo e Ação), grupo ligado a ONG cultural Fora do Eixo, que promovem uma nova maneira de reportar a matéria em um canal no youtube.
Ou seja, como vocês podem perceber não existem mais fronteiras, a cada dia surge uma nova ideia jornalística inovadora.


“O ideal seria que existissem muitas mídias alternativas contribuindo para comunicação jornalística ampliar sua abrangência, o crescimento de informações, opiniões. Assim, seria mais fácil o público consolidar sua própria interpretação da realidade, o verdadeiro foco da cidadania: Mais gente participando do processo histórico.”

Muito Bom
Muito ruim

Aprender no dia a dia, com cada nova entrevista.
A rotina: Tem dias parados,nem todos os dias é uma aventura.
Ser sujeito do processo histórico: Permite o jornalista participar de movimentos sociais, políticos culturais...
A remuneração: Trabalhar muito e ganhar pouco no começo.
Assinar um furo: Publicar um fato matador, ou conseguir uma revelação bombástica, que altera um quadro sociopolítico.
A vaidade no meio: Convive-se com muita vaidade e falta de ética no meio. (O fato interessa, não o jornalista)
Conhecer gente interesse: Quem trabalha com humanidades em geral (jornalismo cultural) tem a oportunidade de conhecer pessoas como artistas, escritores… Isso amplia o repertório e a visão de mundo.

Ser contaminado pelo medo: O que vai acontecer com o jornalismo? Ele pode morrer?
   

Ela também deu algumas dicas para saber se você realmente gosta da profissão, porque muitas vezes o que sabemos sobre é só a “parte boa da história”.
Para ser um bom jornalista você tem que ser apaixonado por jornalismo, independente de qualquer outra coisa; é preciso se interessar por assuntos contemporâneos (história, política, cultura, comportamento); você precisa gostar de ler, sem discriminar nada (de livros até bula de remédio), gostar de escrever e conhecer a língua, que é a sua ferramenta de trabalho. É preciso duvidar do que você ouve e do que você lê, pois muitas vezes as realidades são impenetráveis a primeira vista; Investigar, debater, mudar de ideia…
É preciso ser criativo!
Enfim, isso foi boa parte do que pude conhecer do jornalismo. Além disso, convivo com uma querida, que é mãe da minha melhor amiga e jornalista, Ianara Linares Althero, uma mulher que sempre me fez ter esse gosto pela profissão, que me mostra a cada dia essa paixão que tem pelo o que faz, e faz muito bem; também trabalha na Editora Alto Astral e com a Fernanda! 
Vou deixar o blog da Fernanda, para vocês conhecerem um pouco mais sobre ela.
Espero que essa nova tag ajude, ou pelo menos, dê uma mãozinha nesse momento horripilante que é escolher o futuro.

Grande beijo!

23 agosto 2013

Unhas da Semana: Princess 553

Finalmente consegui postar para vocês… 
Hoje, Deus ouviu minhas preces (e a de todos os outros alunos) e fez com que a água do colégio acabasse; consequentemente, não tivemos aula no período da tarde e duas provas foram adiadas. Pouca sorte, não é?
Brincadeiras à parte…
O esmalte escolhido da semana, na verdade foi um presente e de muito bom gosto por sinal.
O Princess 553 da Dior fica entre o candy pink e o rosa chiclete. 
Acho que pelas fotos não vai dar para perceber muito bem, mas ele tem um brilho, que não chega a ser glitter, mas que da outra cara para as unhas e foi uma das coisas que mais gostei nesse esmalte.
A durabilidade dele é boa, sem contar que o frasco e a embalagem são puro glamour…





Gostaram?

13 agosto 2013

Balas Fini:

Demorei para voltar, mas voltei com uma receitinha super diferente… Balas Fini, Yummy, o famoso Gummy Bear, ou o que quer que vocês chamem… Balas de gelatina! 
E o melhor é que é super fácil de fazer, e você não vai precisar de muita coisa.

Ingredientes:

• 35g de gelatina com o sabor que preferir. (um pacotinho de gelatina)
• 6g de gelatina sem sabor. (meio pacote de gelatina sem sabor)
• 1/2 de xícara de água. (ou de 5 à 7 colheres de sopa)
• Forminhas em formatos diversos para deixar a receita mais legal.




Misture a água, a gelatina com sabor, a gelatina sem sabor e mexa. Deixe descansar por 10 minutos para que ela fique “grudentinha”.

*Cuidado para não deixar a sua mistura pingar, porque é uma desgraça limpar gelatina quando não pronta.


O ponto fica com um aspecto açucarado, então você leva ao fogo mais baixo possível e mistura por aproximadamente 1 minuto, até não sentir mais os cristais da gelatina, que vai ficar no estado líquido. Então você a despeja nas forminhas; caso você não tenha, despeje em uma bandeja. Deixe descansar por uns 5 minutos e leve ao freezer entre 10 e 15 minutos. 


Despejei em uma bandeja primeiro, para depois dar forma.

E sua balinha Fini está pronta; fácil né? E tem um gostinho muito bom.
Usei glitter comestível para enfeitar também…












Dica: Passe açúcar de confeiteiro, assim você evita que elas grudem e fica ainda mais parecido com a bala Fini.

E como de costume, mais um pequeno vídeo do preparo:

video

06 agosto 2013

Projeto 6 on 6:

Olá olá pessoal, como vocês estão?

Pois bem, imagino que todos já tenham voltado para o colégio, e é por isso que as vezes vocês vão reparar que eu dou uma sumida; principalmente essa semana, que estou tendo aulas e provas de recuperações, que só para variar um pouco, fiquei de ambas matemáticas.
Mas vamos ao que interessa… Primeiro projeto do blog!
Funciona mais ou menos assim, seis blogueiros se juntam para fazer um post com seis fotos, todo dia seis, durante seis meses. Depois dessa, acho que deu para entender o porque do nome.
Sempre gostei muito de fotografia, então achei o projeto bem legal, além de que posso compartilhar um pouco da minha vida com vocês e fotos aleatórias que eu gosto. Não sou nenhuma fotógrafa, nunca fiz curso nem nada, mas sempre que posso tiro foto de tudo, por diversão. Também acho que está valendo como um post para #oohlalagirlsparatodos, já que os garotos me pediram para ver “menos coisas de garotas”.

Comprei esse abajur de estampa floral e essa florzinha que achei um charme, para combinar com o lixo e o edredom do meu quarto, na última vez que viajei. Pretendo fazer um post mostrando algumas coisas de lá..
Próximo post sobre unhas da semana...

Esse foi o presente mais maravilhoso que ganhei, da Cabeça de Papel, de aniversário.

Meu olho, em janeiro de 2013. Foto tirada por Marina Rodrigueiro.

Janeiro de 2013, eu e meu amor.
Última noite, da minha última viagem. O que vocês acham de começar um Look do Dia por aqui?

As meninas que estão participando do projeto comigo já fizeram, ou se não estão fazendo seus posts; se você gostou, vai lá dar uma conferidinha!